segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Episódio #6 - Democracia directa?



E um mundo em que os deputados são eleitos directamente? Simples? Talvez não tanto, pelo menos o Paulo Laureano e André Abrantes Amaral discordam em vários pontos…

Dois liberais assumidos sentados à mesa a explorar alternativas à democracia que temos!






Subscreva o podcast e seja alertado quando há novos episódios!

iTunes: https://itunes.apple.com/us/podcast/tempo-de-antena/id595785679
ou
Feedburnerhttp://feeds.feedburner.com/TempoDeAntena

Versão de áudio: iTunes | FeedBurner

Para os clientes do MEO, podem ver este (e outros) podcast no canal 508991 (prima a tecla verde seguida de 508991)...

1 comentário:

  1. Agradeço a iniciativa de discutirem publicamente o conceito de democracia.
    Porém parece-me que se falou muito pouco de democracia directa no seu sentido puro, penso mesmo que argumentos como "as pessoas não têm tempo para a politica, ou não querem etc", se será mesmo assim tão verdadeiro?!
    Aceito-o melhor se as pessoas me disserem que também não têm tempo para socializar ... ou até, que estão demasiado ocupadas para tomar decisões em geral... caso contrário encaro-o como potencialmente demagógico.
    Contudo estamos em pleno Sec XXI , hoje existem plataformas e meios que os Gregos dos Sec VI,V,IV não possuíam, como as novas tecnologias da comunicação e informação- que bem podem substituir a necessidade de as pessoas se reunirem num monte," ágora".
    Todos os outros argumentos expostos contra uma democracia semi-directa ou directa, também me parece ,que se aplicam à dita d. representativa( onde um conjunto de 230 iluminados não se deixa influenciar por interesses, ou acções estranhos, oferecendo um conjunto de garantias temporais , de clareza de agenda e de governabilidade lol).
    Se for possível realizar outro debate em que a forma directa pura de democracia esteja também devidamente representada, podia ser interessante, caso contrário vejo-me obrigado a interceder pelo dito modelo semi-directo... provavelmente menos mau.
    Ainda assim, como democrata, aceito que pessoas pensem de maneira diferente, dando lugar à decisão tomada pela maioria.
    Cumprimentos aos 2 intervenientes
    "O Estrangeiro de Eleia"

    ResponderEliminar